14 visualizações |0 comentários

“Não adianta ser passageiro da agonia”. Esta frase foi utilizada pelo Deputado Federal

Dr. Luizinho em audiência na manhã de ontem da Comissão de Seguridade Social e Família. Ele comentava, após demanda formal da SBACV, a nota divulgada ontem pela Secretaria de Atenção Especializada à Saúde (SAES), pela Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde (SCTIE) e por algumas sociedades de especialidades médicas.

O documento do Ministério da Saúde recomenda a racionalização do uso de contraste iodado para exames e procedimentos médicos até que ocorra a normalização do fornecimento do produto.

Na manhã desta quarta-feira (13), o Presidente Julio Peclat e o Diretor Científico, Edwaldo Joviliano, estiveram em Brasília para duas reuniões que tinham na pauta o tema.

No Ministério da Saúde, foram recebidos pelo Secretário Executivo Adjunto, Marcus Vinicius Fernandes Dias, que reiterou a receptividade do Ministério da Saúde ao diálogo com a SBACV, dando ênfase a parceria inédita e profícua entre as duas entidades no programa QualiSUS Cardio.

Na Câmara dos Deputados, o problema foi discutido com Dr. Luizinho.
O parlamentar utilizou sua fala , após reunião com a SBACV, na reunião da Comissão de Seguridade Social e Família para sugerir que o Ministério da Saúde apure e requisite administrativamente, se necessário, os estoques das empresas que comercializam o produto no Brasil e junto a distribuidores internacionais.

A Diretoria Executiva da SBACV segue atenta e atuante a tudo que envolve nossas especialidades e o trabalho de seus associados.

Compartilhar

Publicar comentário

Ir para o Topo